julho 6, 2016 -

Olá amigos e amigas. Depois de algum tempo de descanso e jogatina estamos de volta com a intenção de formar cada vez mais Mestres/Treinadores/Professores Pokémon, por isso, hoje me focarei em alguns passos da construção de decks para os iniciantes que, muitas vezes, se veem confusos com nomenclaturas e números de cartas possíveis e viáveis em uma lista. Peço paciência para quem já domina a arte de construir decks e estratégias (só esta semana), pois, sem esta mãozinha, muitos novatos desistem antes mesmo de começar a jogar de verdade.

Observando o fluxo de dúvidas e perguntas em vários grupos (nacionais e gringos) nas redes sociais, vi que a grande maioria das indagações giram em torno da base do jogo, quase sempre começando com “sou novo no jogo […]”, “já joguei outro TCG e resolvi mudar […]”, “comecei na Gen 2, parei, e agora queria voltar […]”, e as dúvidas após esta introdução tendem a ser parecidas, podendo ser resumidas em algo como “quais e quantas cópias de cada carta eu devo usar?”. Responder isto diretamente seria pretensioso e impossível, porém, podemos dar um pequeno panorama para servir de norte para estes players, que são semelhantes a mim no princípio da jogatina, e iguais a qualquer player em seu início de carreira.

60 Cartas

Parece bobo afirmar isto, mas, o deck deve conter exatamente 60 cartas, distribuídas entre Pokémon, Cartas de Treinador e Energias, ou seja, a soma de todas as cartas da lista não será diferente de 60. Após este lembrete nós passamos para o segundo lembrete, só poderá haver quatro cópias da carta com o mesmo nome, logo, podemos ter apenas quatro Greninjas no deck, sejam eles da XY Base ou da TURBO Colisão, porém, eu posso ter quatro Greninjas, três Greninjas-EX e um Ash-Greninja-EX na minha lista sem infringir nenhuma regra, por quê? Como todos têm nomes diferentes, são considerados como cartas diferentes, ou seja, precisamos estar atentos ao nome das cartas também, pois, um leve detalhe pode diferenciar um Pokémon do outro, podendo ser um sufixo (Greninja-EX), um prefixo (Ash-Greninja-EX), ou até mesmo um símbolo (Rayquaza STAR).

greninja-destaque

Em termos de jogo, os dois Greninjas são considerados a mesma carta, por ter o mesmo nome, já as duas versões EX acima são consideradas cartas diferentes por terem nomes direfentes, logo, é possível ter 4 de cada uma destas versões EX sem violação de regra.

Pokémon

Os Pokémon estão agrupados de uma forma diferente no TCG. Alguns tipos foram incorporados a outros, se compararmos com o animê e o game. Com isso temos a seguinte divisão:

Normal: Normal e Voador
Psíquico: Psíquico, Fantasma e (alguns) Venenoso
Grama: Grama e (alguns) Venenoso
Fogo: Fogo
Água: Água e Gelo
Dragão: Dragão
Fada: Fada
Noturno: Noturno e (pouquíssimos) Fantasma
Elétrico: Elétrico
Lutador: Lutador, Pedra e Ground
Metal: Metal

O Tipo ao qual pertenciam é expressa, em geral, pela Fraqueza. Por isso o Lugia da coleção Fusão de Destinos (a ser lançada em julho) tem Fraqueza ao Tipo Elétrico, enquanto o Meowth tem Fraqueza ao Tipo Lutador. Ao construir um deck é sempre aconselhável que mesclemos as Fraquezas para evitar o cenário Dragão x Fadas. Os Dragões da XY tem Fraqueza as Fadas, logo, um deck só de Dragões é uma presa fácil para qualquer deck que tenha uma Fada que ataque.

O segundo aspecto sobre os Pokémon é a linha de evolução. Estamos num formato em que o jogo de desenrola de maneira rápida, por isso, as evoluções sumiram por um bom tempo das listas mais usadas (Tier 1). Nos últimos meses, com a mudança e o acréscimo de certas mecânicas, algumas destas evoluções voltaram, principalmente do Tipo Grama que conta com o Estádio Floresta das Plantas Gigantes que acelera as evoluções desse tipo, e listas que usam Wally para forçar uma evolução. Por isso tenha em mente que decks que usam Estágio 1 e Estágio 2 tendem a ser mais lentos que os demais.

A linha de evolução em um deck vai depender de qual a função deste Pokémon no jogo, por isso vou expressar isto em outra tabela para facilitar:

Pokémon de suporte (Estágio 1)

1-1, 2-1, 2-2

Pokémon de suporte (Estágio 2)

0-0-1*, 0-0-2*, 1-0-1, 2-0-1, 2-0-2, 3-0-1, 3-0-2, 1-1-1, 2-1-2, 3-0-1, 3-2-1, 3-2-3

Pokémon atacante (Estágio 1)

3-3, 4-3, 4-4

Pokémon atacante (Estágio 2)
4-2-3, 4-2-4, 4-3-4, 4-4-4

O primeiro número é referente ao Pokémon Básico da linha, e segundo número é referente ao Estágio 1, e o terceiro é o Estágio 2. Quanto mais um Pokémon é necessário para o deck, mais cópias teremos na nossa lista, por isso, atacantes terão pelo menos três cópias obrigatórias na composição final da lista. As linhas marcadas com asterisco só são possíveis graças aos Apoiadores Archie e Maxie, que permitem ignorar a linha evolutiva dos Pokémon do Tipo Água e Lutador (mas é preciso se atentar ao texto da ambas as cartas para poder usar o efeito).

De modo geral um deck terá entre 12 e 15 cartas de Pokémon, claro que existem exceções como Wailord-EX que pode conter até nove Pokémon e Vespiquen ou Flareon Plasma que podem conter mais de 25 Pokémon, mas para ambos os casos existem bons motivos para isto, a ideia do Wailord é acabar com o deck do oponente, logo, mulligans e compras extras do oponente ajudam bastante. Para Flareon Plasma e Vespiquen que dependem de Pokémon no descarta para aumentar dano, quanto mais a Pilha de descartes crescer com Pokémon, maior será o dano no final do turno.

Energias

Se formos fazer uma média de cartas de energias nos decks atuais ficaremos com um valor de 10 energias, ou entre 9 e 11 para ser mais generoso. Isto se deve a métodos de compras extras e compras específicas que temos hoje, que permite-nos jogar com um número muito pequeno desse recurso. Mais uma vez, temos exceções no formato como Vespiquen (com quatro Energias Dupla Incolor, Energias Especiais), e decks do Expandido com Blastoise / Keldeo-EX com 12 ou mais Energias de Água. Por isso podemos dizer que 1/6 do deck pode ser preenchido com Energias, Básicas ou Especiais.

Um erro comum entre os iniciantes é juntar vários Pokémon que usam energias diferentes, pensando em cobrir o máximo possível a vulnerabilidade de sua lista. Isto só faz com que percamos para nós mesmo, por isso, tenha no máximo três tipos de energias diferentes em seus primeiros decks, isso lhe ajudará a ganhar experiência e traquejo primeiro, depois poderemos partir para uma coisa mais complexa como Mega Manetic-EX / Ho-oh-EX que usam quatro tipos de energias diferentes. Neste campo, menos é mais.

Cartas de Treinador

Chegamos finalmente no motor das listas, as cartas que dão andamento as estratégias que imaginamos e os conceitos que buscamos. As Cartas de Treinador têm as mais diversas finalidades, só para citar algumas, temos cartas para compras extras, descarte de cartas específicas, compras de energias, e por aí vai. Elas ainda são subdivididas em Apoiadores (com efeitos muito “fortes” e, por este motivo, de uso limitado a um por turno), Itens (com efeitos “menores”, sem limite de uso), Estádios (que visam nos ajudar ou atrapalhar o oponente) e Ferramentas (com regras específicas de uso), com funções distintas como já descritas entre os parênteses. As cartas escolhidas e sua quantidade dependerá de como queremos que o deck funcione e o quão necessário a carta será para o andamento do jogo, mas sempre tentando equilibrar as necessidades para evitar que o oponente trave o nosso jogo por nós dependermos muito de Itens, ou de Apoiadores.

Não existe um número exato de quantas Cartas de Treinadores se usa no formato, mas, usando o calculo que começamos no início do texto teremos algo entre 39 e 34 distribuídas entre Itens, Apoiadores, Estádios e Ferramentas. Podemos optar por bloquear Itens e, com isso, teremos mais Apoiadores no nosso deck, podemos decidir por ter um deck mais rápido e, como consequência, termos mais Itens de compra e descarte, ou vencer uma “guerra de Estádios” com dois ou três Estádios diferentes em nossa lista, mas precisamos lembrar de duas coisas: só pode haver quatro cópias de cartas com o mesmo nome em nossa lista (exceto Energias Básicas), e devemos equilibrar a lista para que ela funcione com o mínimo de eficiência contra estratégias diferentes.

As cartas mais presentes atualmente são Correio de Treinadores (3 ou 4), Ultra Bola (2 a 4), Compressor de Batalha (2 a 4), Bicicleta Acro (4), Pesquisador VS (1 a 4), Professor Sycamore (2 a 4), Shauna (2 a 4), Observações do Professor Birch (2 a 4), Lysandre (1 ou 2), Laboratório do Silêncio (1 ou 2), Campo Celeste (1 a 3), Vale Dimensional (2 a 4) e Faixa Musculosa (2 a 4).

Compras Extras e Energização Extra

Quanto mais demorado é um deck para a montagem do jogo, mais ele necessitará de cartas extras ou energias extras, por isso, decks que usam muitas energias para um único ataque podem ser muito dependentes de auxiliares como Mega Manetric-EX, Bronzong (Força Fantasma), Elixir Máximo, e outros meios de ligar mais de uma energia por turno.

Listas com Estágios 2 como atacantes precisarão comprar muitas cartas para montar o jogo de forma mais rápida, por isso, Shaymin-EX, Bicicleta Acro, Correio de Treinadores, e Doce Raro são algumas soluções para a aceleração, deixando menos arriscado apostar neste tipo de jogo.

Temos que pesar bastante a velocidade e a necessidade de recursos em nossa mão, em nosso deck e em nossa Pilha de Descartes, para evitar armadilhas escondidas por nós mesmos, uma carta extra pode significar a vitória, mas desperdiçar recursos em vão nos levará a uma derrota certa. Assistindo e jogando várias partidas percebi que os decks mais conservadores tendem a descartar em média sete ou oito cartas no primeiro turno, e os mais agressivos até 30 cartas, por isso é preciso pensar também num meio de administrar bem e retornar recursos da Pilha de Descartes, sej para a nossa mão ou para o deck (é sempre bom avaliar a necessidade de reaver algumas cartas que podem ser descartadas prematuramente no jogo).

Testes incessantes, algo por volta de 100 ou 150 partidas, são o mínimo necessário para começar a refinar uma lista. E este refinamento é necessário para uma boa lista, pois, cada jogador tem o seu próprio ritmo e preferências de jogo, seja uma forma mais veloz, mais cadenciada, mais agressiva, ou mais conservadora.

Espero que este texto seja útil para os iniciantes nesta jornada gratificante, mas árdua, no mundo do Pokémon TCG. Paciência e persistência estão no topo da lista dos jogadores mais experientes, saber entender as críticas e estar aberto a reformulações regulares da forma de pensar, e, sempre que possível, tire as suas dúvidas com os jogadores mais entendidos do assunto, assim, é possível aumentar a aprendizagem e até conseguir alguns macetes para facilitar a caminhada. No mais é isso. Boa jogatina a todos e nos esbarramos por aí.