Seguir @copag_oficial

Blog Pokémon TCG da Copag

Exibindo a categoria Dicas para montar o seu deck

Speed Toise: quem disse que tartarugas são lentas?

Por Edgar Shinagawa

Olá, pessoal! Este final de semana a loja Anime Toys, em Sorocaba, fez um torneio de reinauguração. Fui convidado para jogar e aceitei prontamente. Fazia tempo que não disputava um torneio e, mesmo que nos últimos tempos tenha atuado como juiz, eu gosto de jogar e estava sentindo falta de disputar algumas partidas mais “a sério”.

Como não tinha muito tempo para testar e muito menos conhecimento do metagame, resolvi que iria usar um deck fora do comum. Buscava algo diferente, exótico. Até que olhei para a figura de Blastoise que fica sobre minha mesa e pensei: “Por que não?”. Quem me conhece sabe o carinho que tenho pelo deck de Blastoise, que me rendeu todos os títulos que tenho no Pokémon TCG.

Passei a pensar e procurar uma lista de Archie’s e Blastoise. Já mencionei uma aqui no blog, mas com alguns megas presentes no formato, não me sentia confiante em usar Black Kyurem. Passei a procurar mais listas na internet, até me deparar com um vídeo no YouTube. A lista não tinha cartas da Roaring Skies e ainda utilizava Trump Card, mas fiz alguns ajustes e usei o seguinte deck no torneio – eu o chamo de Speed Toise: 

BlastoisePokémon (11):
2x Blastoise (BW Tempestade de Plasma)
2x Jirachi-EX (BW Explosão de Plasma)
2x Exeggute (BW Congelamento de Plasma)
4x Keldeo-EX (BW Fronteiras Cruzadas)
1x Mewtwo-EX (BW Legendary Treasures) 

Trainer (38):
4x Professor Sycamore
2x Archie’s Ace in the Hole (Ás na Manga de Archie)
1x N
1x Lysandre
1x Teammates (Companheiros de Equipe)
4x Ultra Ball (Ultra Bola)
4x VS Seeker (Explorador VS)
4x Battle Compressor (Compressor de Batalha)
4x Bicycle (Bicicleta)
4x Acro Bike (Bicicleta Acro)
4x Trainer’s Mail
4x Superior Energy Retrieval (Recuperação de Energia Superior)
1x Computer Search (Pesquisa no Computador) 

Energy (11):
11x Water (Água) 

Total = 60 cartas

 

KeldeoO que mais me atraiu neste deck foi o uso de Keldeo-EX e Mewtwo-EX. Quem jogou no formato BW-BCR, lembra-se bem da primeira versão do deck de Blastoise. A estratégia consistia em colocar 6~7 energias no Keldeo-EX (causando 170~190 de dano) e 3 no Mewtwo-EX no banco, dando um xeque-mate no oponente – já que a única coisa que nocauteava um “Super Keldeo” era um Mewtwo-EX (ou Rayquaza-EX, da DRX, que via pouco jogo na época). No formato atual, isso não poderia ser feito, visto que temos muitos outros Pokémon capazes de eliminar um Keldeo gigante, mas não era por isso que eu deixaria de usar o deck. Afinal, era como se fosse uma “despedida” do Blastoise.

Graças ao Cassiano “Chuck” e ao Ian, pude pegar as cartas que eu não tinha. E assim jogamos o torneio. Abaixo, segue um mini-report do mesmo:

 

Round 1 – Ian Fukuda – Mewtwo/Bats

No primeiro jogo eu demorei para montar o Blastoise e perdi rapidamente. Mas no segundo, consegui montar Blastoise no primeiro turno, sendo capaz de colocar pressão no Ian. Ele até tentou eliminar a tartaruga, mas eu consegui colocar outra em campo e ganhei. Na terceira, o tempo acabou e empatou.

0-0-1

 

TrevenantRound 2 – Gustavo Wada – Fairy Toolbox

Comecei o jogo e, no primeiro turno, já coloquei Blastoise em campo e algumas energias no Keldeo. No segundo turno, o Keldeo já estava batendo 190, mas o Gustavo conseguiu levar ele com um Trevenant-EX. Mesmo com meu oponente usando N, consegui energizar meus atacantes, graças à enorme quantidade de itens de compra no deck, fechando o game 1.

No game 2 eu brinquei: “Deixa eu começar, senão vou matar um EX seu no meu T1”. O Gustavo não aceitou e começou a partida. No meu primeiro turno, fiz um Keldeo-EX com 7 energias, levando o Seismitoad-EX dele. O resto, foi um replay do primeiro jogo.

1-0-1

 

Round 3 – Arthur – Landbats

O primeiro jogo montei Blastoise no T2, se não me engano, mas ele baixou Silent Lab e acabou ficando sem poder usar Shaymin-EX, travando o próprio jogo. No segundo jogo, brinquei da mesma forma que com o Gustavo, mas dessa vez o Arthur deixou eu começar mesmo, hahaha… Para a sorte dele, eu realmente consegui montar Blastoise no T1 e descer 6 energias em campo! Contra um começo destes, ele não teve muito o que fazer.

2-0-1

 

Round 4 – Pedro Galera – Groudon

Logo que ele abriu de Wobbuffet, eu já sabia que era auto-loss. Não tinha absolutamente nada que eu pudesse fazer, exceto tentar ficar puxando os Wobbuffet com Lysandre para forçar ele a gastar os Switch. Não deu, em nenhum dos dois jogos.

2-1-1

 

DonphanRound 5 – Leo – Donphan

No primeiro jogo ele começou e, no meu turno, vi que daria para fazer Blastoise. Mas fiz a jogada errada e acabou sobrando uma carta que não deveria na mão, me impedindo de descer a tartaruga e começar o ataque. Consegui usar vários Lysandre para nocautear todos os Donphan, mas no fim, a Hawlucha levou o jogo. No segundo jogo eu consegui usar Lysandre várias vezes novamente, mas desta vez usei Blastoise para atacar, minimizando o dano (já que ele não toma o bônus do Fighting Stadium) e inutilizando Hawlucha. Consegui ganhar. Já no game 3, ele abriu super mal, mas faltou uma energia para eu atacar logo no começo. O tempo acabou e faltou um turno para nocautear um único robô que se encontrava no campo adversário.

2-1-2

 

Conclusão

Gostei bastante de usar este deck. Posso dizer que é a variação mais divertida de Blastoise que já usei. Consegui montar o jogo no primeiro turno diversas vezes, tendo inclusive nocauteado um EX logo no começo do jogo. Enfim, Speed Toise é bastante rápido, mas possui diversas fraquezas (Silent Lab, Wobbuffet, Garbodor e Groudon são auto-loss).

MewtwoDa lista utilizada, eu mudaria algumas coisas:

-1 Teammates (Companheiros de Equipe)
-1 Jirachi-EX
-1 Keldeo-EX 

+1 Kyurem (BW Vitórias Nobres)
+1 Shaymin-EX
+1 Mewtwo-EX 

Não usei Teammates uma única vez. Todas as vezes que eu tinha oportunidade de usá-la, preferia um Lysandre. Jirachi-EX é bom para pegar o Archie, mas Shaymin-EX faz falta para um turno mais explosivo ainda.

4 Keldeo-EX é desnecessário e um segundo Mewtwo-EX ajudaria mais. Já Kyurem faria um grande estrago contra morcegos e Night March.

No fim, fiquei bastante feliz com o resultado do deck. Um pouco desapontado por não ter obtido uma colocação melhor no torneio, mas com a sensação de “dever cumprido” ao fazer essa última homenagem ao meu deck preferido, que muito provavelmente irá ser rotacionado após o Mundial.

Bem, pessoal, é isso! Espero que tenham gostado. Deixem suas dúvidas, críticas e sugestões aí nos comentários e até a próxima! ;)

1 comentário

Deck Raichu/Bats: muito dano, poucas ultra raras

Por Edgar Shinagawa

Olá, pessoal! Desde o dia 15 estamos sem poder usar Lysandre’s Trump Card (Coringa de Lysandre) no ambiente competitivo. Semana passada eu falei de uma alternativa para conseguir jogar sem esta carta, que trouxe mudanças bastante interessantes no metagame.

Essas mudanças podem ser vistas nos decks presentes nos TOP 8 dos Nacionais que ocorreram este final de semana. 

No México, tivemos:

  • Night March
  • Landorus/Crobat
  • Rayquaza/Bronzorg
  • Fairy Tool Box (Seismitoad/Manectric/Virizion/+)
  • Latios/Rayquaza
  • Klinklang/Aegislash/Excadrill
  • Raichu/Crobat/Shaymin
  • Donphan

TrevenantNa Dinamarca:

  • Landorus/Crobat
  • Primal Groudon
  • Trevenant/Gengar
  • Landorus/Crobat
  • Landorus/Crobat
  • Night March
  • Landorus/Crobat

 

Trevenant/Gengar

Assim como previsto, Landorus/Crobat vem se mostrando com uma força incrível, podendo ser considerado o deck a ser vencido. Night March também deu as caras. Além disso, não tivemos UM deck sequer focado em Seismitoad-EX, mostrando que o banimento de Trump Card fez com que o sapo realmente perdesse MUITA força.

Um deck que me chamou a atenção foi o de Raichu/Crobat/Shaymin. Não tenho acesso à lista mexicana, mas tentei montar alguma coisa aqui. O resultado segue abaixo: 

 

RaichuPokémon (23)
4x Pikachu (XY Base Set)
4x Raichu (XY Base Set)
4x Zubat (BW Tempestade de Plasma)
3x Golbat (XY Força Fantsama)
3x Crobat (XY Força Fantasma)
1x Mr. Mime (BW Congelamento de Plasma)
3x Shaymin-EX (XY Roaring Skies)
2x Bronzor (XY Força Fantasma)
1x Bronzorg (XY Força Fantasma) 

Trainer (29)
4x Professor Sycamore
1x N
2x Colress
1x Lysandre
1x Pokémon Fan Club (Fã Clube Pokémon)
4x Ultra Ball (Ultra Bola)
4x VS Seeker (Explorador VS)
2x Muscle Band (Faixa Musculosa)
1x Switch (Substituição)
1x Float Stone (Pedra Flutuante)
1x Sacred Ash (Cinza Sagrada)
1x Computer Search (Pesquisa no Computador)
4x Sky Field 

Energy (8)
4x DCE (Dupla Incolor)
4x Metal 

Total = 60 cartas

 

Estratégia

Pikachu, o famosãoRaichu se tornou um ótimo atacante desde o lançamento de Sky Field. O grande atrativo é conseguir bater 160 de dano por apenas uma energia dupla e com um atacante não-EX. Para isso, o deck precisa de velocidade, dada especialmente pela presença de Shaymin-EX.

Como 160 de dano não é suficiente para nocautear a maioria dos EX do formato, o deck conta com a presença de Muscle Band, fechando os 180. Para Megas e EX com resistência (Landorus, por exemplo), a linha de morcegos ajuda a completar o dano, além de dar uma boa vantagem contra Night March, já que seu oponente não poderá baixar Joltiks livremente.

Na eventualidade de seu oponente remover Sky Field de campo, você deve descartar Shaymin-EX e Crobats, que não possuem grande utilidade após serem baixados.

Antigamente o deck precisava de Trumph Card para reciclar atacantes e energias. Para minimizar a ausência desta, entram no deck uma pequena linha de Bronzorg (reciclar energias) e uma cópia de Sacred Ash (reciclar Pokémon, especialmente Pikachu/Raichu).

 

CrobatCrobatConclusão

O deck tem um grande atrativo de utilizar poucas cartas ultra raras (apenas os 3 Shaymin-EX). Todas as outras são no máximo raras, que não possuem um valor tão alto, sendo possível montar este deck com um investimento relativamente baixo. Se você não possui condições de adquirir Shaymin-EX, pode substituí-los por mais Supporter (Birch, Shauna), Itens (Bicicleta Acro, Patins) ou outros Pokémon de compra (Slurpuff, Electrode). Porém, tenha em mente que a velocidade do deck ficará comprometida.

O deck consegue bater de frente contra todos os decks do formato. Landorus/Crobat é uma partida um tanto quanto complicada, principalmente porque Raichu é facilmente nocauteado devido à fraqueza e à resistência de Landorus. Porém, o fato de Raichu ser um não-EX pode manter a troca de prêmios favoráveis. Contra Night March, deve-se usar e abusar dos morcegos. Já contra Rayquaza incolor e Yveltal, o tipo elétrico te dá uma boa vantagem.

É isso, pessoal! Espero que tenham gostado. Deixem suas dúvidas, críticas e sugestões aí nos comentários e até a próxima! ;)

1 comentário

Preparação para o Nacional de Pokémon – Parte 5

Por Edgar Shinagawa

E aí, pessoal! O grande dia está chegando: o evento que todos aguardavam já é neste final de semana! :D

Se você não se inscreveu no Nacional de Pokémon pelo site, a Copag vai dar a oportunidade de você fazer isso na sexta-feira, durante o próprio evento, contanto que você tenha os PPs necessários (1 para as categorias Junior e Senior e 4 para a Master). Lembrando que cada mês que você joga uma liga oficial você ganha 1 PP. Cities dão 2 PPs e Regionais, 4 PPs.

Também é bastante importante salientar que, este ano, o campeão de cada divisão não ganha a viagem e hospedagem paga ao mundial. Nos anos anteriores, a The Pokémon Company International bancava a viagem e estadia da maioria dos campeões nacionais ao redor do mundo. Neste ano estas viagens foram extintas, dando lugar às viagens pagas aos melhores jogadores de cada região no ranking de CPs, como explicado neste link.

Hoje, ao invés de trazer as tradicionais dicas de deck, vou dar algumas sugestões para tornar sua experiência no Nacional mais agradável e minimizar possíveis problemas durante o evento. Vamos lá?

 

regrasConheça as regras 

TODOS os jogadores, ao participarem de um evento, automaticamente aceitam as regras. Infelizmente, apenas uma pequena parcela dos jogadores realmente as conhecem. Recomento a leitura dos seguintes documentos (em inglês):

Play! Pokemon General Event Rules
Play! Pokemon TCG Rules and Formats
Pokémon TCG Rulebook (veja as regras em português aqui)
Penalty Guidelines

Assim, você sabe das suas obrigações e direitos como jogador. Outra dica bastante importante é a leitura da carta. Diversas vezes já fui questionado sobre o efeito e interação entre cartas e bastava ler a mesma com atenção para obter a resposta.

 

lancheLeve lanche e água 

Leve uma garrafa de água (que NUNCA pode ficar em cima da mesa durante o jogo, mas sempre no chão!), biscoitos e barras de chocolate/cereal para não passar fome. Mesmo que haja pausa para almoço e o local do evento conte com uma praça de alimentação, os lanchinhos sempre ajudam – afinal, o torneio é longo e psicologicamente desgastante. Fome e sede são coisas fáceis de se evitar e diminuem significativamente a sensação de estresse e cansaço durante o evento.

 

leve dinheiroLeve dinheiro em espécie 

O Nacional também é um evento de encontro entre jogadores. Muitos deles aproveitam para negociar cartas, acessórios, etc. E ninguém vai aceitar cartão. Além disso, nem sempre você consegue comprar alimentos e bebidas com dinheiro plástico (a praça de alimentação do evento aceita cartão).

Outra situação bastante crítica é no caso de o evento acabar tarde e você precisar pegar um táxi para ir embora, já que nem todos aceitam cartões. Aqui nesse caso, uma boa pedida pode ser usar os aplicativos de táxi, como o 99taxi.

 

leve itens reservasLeve material reserva de absolutamente TUDO 

Sempre existe a chance de você perder alguma coisa. Por isso, leve acessórios reserva de tudo, especialmente sleeves e estádios do seu deck.

Os sleeves podem ser danificados durante o evento e/ou o juiz pode solicitar que você faça a troca. Assim, eu sempre recomendo que os jogadores, além de carregar sleeves da mesma cor/modelo reserva, levem consigo um outro conjunto de 60 sleeves diferentes para a eventualidade do juiz solicitar a troca. Lembrando que, para eventos oficiais, são permitidos apenas sleeves de cor sólida ou com arte oficial relacionada a Pokémon.

Estádios são facilmente perdidos, pois ficam entre os dois jogadores e, ao terminar a partida, seu oponente pode acabar pegando uma carta sua. Pode-se evitar este problema fazendo a contagem de seu deck tão logo a partida acabe. Porém, leve algumas cópias reservas destas cartas para o caso de perda. Se possível, leve um deck inteiro de reserva (sim, dois decks iguais), pois se acontecer de sumir uma carta, você tem outra à disposição facilmente.

 

decklistFaça sua decklist em casa 

Imprima sua decklist em casa, de preferência utilizando formulários como os do Pokégym. O sistema faz a verificação automática das cartas e o fato de ser um formulário impresso ajuda a organização, especialmente se você tem “letra de médico”.

Preencher a decklist na hora aumenta suas chances de erros e, consequentemente, de punições e sanções no evento. Você não vai querer estragar sua experiência no Nacional por um erro bobo desses, vai?

Por último, confira e reconfirme sua lista várias vezes. Eu geralmente confiro umas três ou quatro, para ter certeza que não teve erros. E JAMAIS deixe outras cartas dentro da deckbox, apenas seu deck.

 

descanseDescanse na véspera e se alimente bem 

Sim, esta é a dica mais óbvia, mas a mais difícil de se colocar em prática. A ansiedade, incerteza do deck, nervosismo, tudo se junta e atrapalha seu sono. Eu mesmo já fiquei até as 3h da madrugada na véspera do Nacional de 2013 pensando sobre esses assuntos. Mas o descanso é importante, especialmente porque o torneio irá ser longo e desgastante (principalmente na categoria Master). Tomar um bom café da manhã também é essencial.

 

acerte no alvoNÃO troque de deck na última hora 

Hahaha… essa é a dica que eu sempre ouvi, mas nunca coloquei em prática. Acredito que, na metade dos torneios oficiais que participei, eu mudei de deck no último minuto. E quando eu digo mudar de deck, é mudar ele inteiro, praticamente as 60 cartas.

No Nacional do ano passado, estava decidido que eu jogaria de Blastoise. Na última hora, peguei a decklist de um amigo e troquei de deck. Resultado? Cometi erros bobos durante a partida e acabei perdendo jogos “ganhos”.

Se você decidiu o deck no dia anterior, mantenha sua decisão. É o deck que você montou, que você treinou. Não invente moda de última hora, as chances de dar errado são enormes!

 

chegue cedoChegue cedo 

O check-in será realizado na sexta-feira, mas o torneio ocorre somente no sábado. A primeira rodada está prevista para começar às 8 da manhã. Se você se atrasar, pode começar com uma derrota, diminuindo drasticamente suas chances de ir bem. E se você perder duas rodadas seguidas, será automaticamente removido do torneio. Por isso, chegue cedo!

 

faça amigosDivirta-se 

Esta é a dica mais importante. Apesar de ser uma competição, devemos nos divertir. Brigas, discussões, anti-jogo e, principalmente, trapaças, devem ficar de fora deste tipo de evento e, em caso de ocorrências, haverá punições. Jogue com fair play, amizade e respeito. Divirta-se e faça amizades!

 

Conclusão

 

É isso, pessoal! Neste Nacional, estarei atuando como juiz. Estarei um tanto quanto atarefado, mas se quiser trocar uma ideia, é só me procurar. Boa sorte a todos os participantes e até o final de semana! ;)

 

Confira os demais posts desta série:

Parte 1 – Os top cards da coleção XY – Roaring Skies
Parte 2 – Os três grupos de deck que serão usados no Nacional
Parte 3 – Os prováveis decks do Nacional
Parte 4 – O que são decks Rogues?

 

3 comentários

Preparação para o Nacional de Pokémon – Parte 4

Por Edgar Shinagawa

E aí, pessoal! Sabe quando você vê alguém tendo alguma ideia simples, mas genial, e se pergunta como foi que não pensou naquilo antes? Pois é, no Pokémon TCG também temos situações assim. Enquanto a vasta maioria dos jogadores usa apenas as cartas naturalmente mais poderosas, um pequeno grupo de jogadores resolve se aproveitar da popularidade destas cartas para tentar obter vantagem sobre elas. São os usuários de decks Rogues.

 

O que são decks Rogues?

 

A tradução da palavra “rogue” para o português tem o sentido de “trapaceiro” ou “desordeiro”. Mas, no universo do Pokémon TCG, esta palavra define o tipo de deck inusitado! São decks pouco ou nada conhecidos, com uma estratégia diferenciada, pegando a adversário sem preparo – o que geralmente leva o oponente a tomar decisões erradas.

Quando uma coleção é lançada, apenas uma pequena parcela das cartas é usada com frequência, por serem “boas demais”. A grande maioria sequer vê o cenário competitivo. Porém, algumas cartas podem não ser tão boas assim, mas têm grande utilidade em situações bastante específicas. São estas cartas que, normalmente, compõem os decks Rogues.

O exemplo mais famoso deste tipo de deck foi o The Truth, usado por Ross Cawthon para chegar à final do Mundial de 2011. O deck utilizava uma estratégia completamente diferente, pegando todos os jogadores de surpresa. O deck Italiano, como ficou conhecido aqui no Brasil, derrubou diversos jogadores do Nacional de 2013 que não estavam preparados (inclusive eu, que fui eliminado por este deck no TOP16), chegando à final. No ano passado, Alex Silva usou o deck de Pau Brasil e quase levou o caneco do Nacional.

Todos estes decks visaram a utilização de cartas/estratégias incomuns, que tinham vantagem sobre cartas populares do metagame. Além disso, existe o fator surpresa e o despreparo do oponente.

 

Decks Rogues para o Nacional

 

Infelizmente não irei passar uma decklist rogue aqui por dois motivos:

1) É bastante difícil fazer uma lista assim, já que é necessário acertar o metagame para obter as vantagens necessárias.

2) Se a lista for divulgada, ela passa a ser de conhecimento de várias pessoas, então deixa de ser rogue… :P

Portanto, ao invés de dar uma lista, vou listar algumas cartas que têm potencial para fazer um bom deck rogue para este ano, visando a provável popularidade de alguns decks (como mencionamos na semana passada). Além disso, também aproveito para listar cartas tech, que podem ser adicionadas aos decks conhecidos para dar alguma vantagem.

 

DrifblimDrifblim

Com praticamente todos os decks utilizando pelo menos 4 energias especiais, Drifblim combinado a remoções de energia pode causar bastante estrago.

 

M Diance-EXM Diance-EX

Certamente uma boa adição ao deck de fada, especialmente na partida contra Rayquaza. Seu único contra é a ausência de Spirit Link.

 

Klinklang PLSKlinklang PLS

Falei dele semana passada. Esquecido desde o Nacional de 2013, pode ser uma boa parceria com Aegislash, que fica imune a muitas ameaças do formato.

 

Lugia-EXLugia-EX

Também se encontra nas pastas dos jogadores, subutilizado desde o lançamento de Mega evoluções e Manectric-EX. Ainda assim, o fato de poder comprar um prêmio a mais é extremamente forte. Vi variações de Seismitoad e Lugia que fizeram um certo sucesso no exterior. É uma ideia que vale a pena testar. Apenas lembre-se que Silent Lab neutraliza a habilidade da Lugia.

 

JolteonJolteon

Com a quase certa popularidade de Rayquaza Incolor, Jolteon pode ser uma opção no deck de Flareon. Com uma Silver Bangle e um pouco de sorte na moeda, é possível nocautear Rayquaza em um ataque.

 

Thundurus-EXThundurus-EX

O deck de Plasma, de uma forma geral, sumiu do metagame. Mas Thundurus-EX, assim como qualquer Pokémon elétrico, causa um bom dano em Rayquaza, principalmente por contar com Deoxys-EX para aumentar o dano. Uma ideia é usar Thundurus com Absol, visto que muitos decks estão enchendo o banco, fazendo deste um bom atacante não-EX.

 

AbsolAbsol

Como mencionado acima, muitos decks usam o banco cheio. Porém, o grande atrativo é a aceleração com Colress Machine e o alto dano que Absol causa em Rayquaza com Sky Field em campo, com potencial de nocautear até mesmo o Mega em um golpe, se combinado às cartas certas.

 

Suicune/Sigilyph

Suicune e Sigilyph

Safeguards sempre foram e sempre serão opções para decks rogues. O principal atrativo para usá-los é a grande dificuldade que o deck de Rayquaza tem para lidar com estas ameaças.

 

M Venusaur-EXM Venusaur-EX

O grande empecilho de se usar M Venusaur-EX era o custo de ataque. Com Mega Turbo, a energização ficou muito mais fácil. Apesar de não ter um Spirit Link e te obrigar a perder o turno quando evoluir, o ataque é bastante interessante. Alguns podem questionar que Primal Groudon é melhor, mas estamos falando de pensar “fora da caixa”, não? Uma boa ideia poderia ser usar este Venusaur com Dusknoir, “prendendo” o EX na posição ativa e reposicionando os marcadores de dano.

 

RaichuRaichu

Com Sky Field no formato, Raichu consegue bater 160 de dano. Aliado à Muscle Band, é o suficiente para nocautear boa parte dos EX do formato (exceto Megas e Wailord). O tipo elétrico é quase que um brinde!

 

TrevenantTrevenant

Com o lançamento de Seismitoad, Trevenant ficou esquecido. Mas não deixe de olhar com carinho para esta carta. Combinado com Wally, tem potencial para travar o oponente tão logo o jogo comece.

 

M Lucario-EXM Lucario-EX

Assim como todos os Megas anteriores à XY – Força Fantasma, M-Lucario não possui o Spirit Link, o que o deixa em desvantagem. Seu ataque é muito bom e com Mega Turbo tudo fica mais fácil.

 

PyroarPyroar

Se você for usar Blacksmith no seu deck, uma linha 1-1 deste Pokémon pode vir a ser bastante útil. É como se um Blacksmith virasse 2 Lysandre. Fora a possibilidade de se usar energias ligadas da mão.

 

Gengar-EX e M Gengar-EX

Gengar-EX e M Gengar-EX

Combinado com Sigilyph, Trevenant e Wobbuffet, pode dar uma dor de cabeça enorme para seus oponentes, como mencionado no deck de Gengar.

 

MalamarMalamar-EX

Muitos já usaram essa tech em decks de fada para deixar o oponente adormecido. Faz tempo que não vejo esta estratégia, mas é algo que ainda pode valer o espaço no deck.

 

Florges-EXFlorges-EX

Outro atacante alternativo para o deck de fada. Com o uso de Sky Field, o dano pode chegar a 180 por apenas duas energias.

 

IllumiseIllumise

Esta carta é uma ótima alternativa contra Seismitoad-EX. Deixar o adversário confuso te dá uma grande chance de ele não conseguir atacar no próximo turno, quebrando o lock.

 

NinetalesNinetales

Em um formato onde ganhar a guerra de Estádios é importante, Ninetales faz toda a diferença. Decks de Rayquaza podem usar uma pequena linha deste Pokémon para garantir que Sky Field não saia de jogo.

 

Camerupt-EX e Team Magma Camerupt

Camerupt-EX e Team Magma Camerupt

Esta é uma ideia que me falaram e eu nunca parei para pensar nela direito. As cartas possuem sinergia, embora eu acredite que o custo de energia torna as coisas um pouco difíceis. Vale a pena o teste.

 

Wailord-EXWailord-EX

Algumas pessoas utilizaram Wailord-EX como um tank, para segurar os ataques e ganhar tempo. Nem mesmo o deck de Rayquaza consegue um nocaute em apenas um ataque.

 

GorebyssGorebyss

Esta dica é da Yasmin Cipelli. Ela usou uma linha 1-1 em um deck de fada para acelerar o jogo. Ideia bastante interessante e uma tech que vale a pena ser testada.

 

NatuNatu

Um ótimo counter para Mew-EX, especialmente em Night March, onde Dimension Valley provavelmente estará em campo.

 

BanetteBanette

Megaphone caiu em desuso, muito em parte devido a Seismitoad e a popularidade de Megas, já que é melhor deixar o Mega do oponente com Spirit Link. Banette é bastante interessante, pois ele mantém as tools, deixando-as inúteis.

 

Conclusão

 

Todas as cartas listadas acima têm algum potencial. Cabe a você pensar além do óbvio e ter ideias diferentes e surpreendentes para se dar bem no Nacional.

Vale lembrar que a utilização de cartas não comuns sempre é uma aposta, já que você depende de sorte no emparceiramento. É oito ou oitenta! :)

É isso por hoje, pessoal! Se você gostou, deixe uma mensagem aqui nos comentários. Dúvidas, sugestões e críticas também são bem-vindas.

Até a semana que vem, com a última parte desse especial para o Nacional! ;)

 

9 comentários

Preparação para o Nacional de Pokémon – Parte 3

Por Edgar Shinagawa

Olá, pessoal!

Este último final de semana ocorreram os dois primeiros Nacionais do mundo. O evento ocorreu em Stuttgart, na Alemanha. Este Nacional me pareceu um tanto quanto inusitado, pois o evento reúne o Nacional da Alemanha e Áustria, onde os jogadores de ambos os países jogam um único suíço e depois são separados no TOP CUT de acordo com o número de jogadores. Ao fim, na Master, houve TOP 8 para os alemães e TOP 4 para os austríacos. Infelizmente estes torneios não servem de base para o nosso, visto que o formato utilizado não englobava a coleção XY – Roaring Skies.

 

Prováveis decks do Nacional

É bastante difícil dizer qual é o melhor deck do momento ou qual deck tem a maior probabilidade de vencer, mas é possível ter uma ideia do que pode aparecer no torneio. E são contra esses decks que você tem que se preparar para não ser pego de surpresa. Outros devem aparecer em menores proporções, mas não devem ser negligenciados.

Por isso, hoje vou listar alguns destes decks, sua estratégia padrão e como você pode (e deve) fazer para aumentar suas chances de vitória ao encará-los. Vamos lá? :)

 

Mega Rayquaza (Incolor)

Falei dele na semana passada. Velocidade e alto dano são as suas características. Seu atacante principal é o M Rayquaza-EX – que, aliado à Ancient Trait (Δ Evolution), Mega Turbo e Shaymin-EX, é possível chegar ao dano de 240 logo no primeiro turno! :o

Para enfrentá-lo, primeiro precisamos entender quais fatores permitem que ele seja um deck a ser temido:

  • Alto dano
  • Compra de várias cartas no turno
  • Mega evolução no primeiro turno
  • Energias incolores

Para o dano, o deck necessita de um banco cheio e, preferencialmente, Sky Field em campo. Portanto, uma alta contagem de Estádios e/ou o uso de Ninetails (XY – Conflito Primitivo) certamente minimiza o dano causado. Além disso, o uso de Pokémon com um alto HP aumentam as probabilidades de sobrevivência (Mega Evoluções, especialmente).

RayquazaUma vez que o deck confia boa parte de sua compra em Shaymin-EX, a utilização de cartas que bloqueiam as habilidades são bastante indicadas para vencer Rayquaza. Enquanto Silent Lab ajuda a economizar espaço no deck (já que, além de neutralizar Shaymin-EX também minimiza o dano do Rayquaza), Garbodor (BW – Legendary Treasures) e Wobbufet (XY – Força Fantasma) são mais confiáveis, visto que o deck de Rayquaza usa poucas cartas para remover estas ameaças. O uso de uma alta contagem de Lysandre e Pokémon não-EX capaz de nocautear o Shaymin-EX rapidamente também é uma estratégia que pode dar certo. Absol (XY – Congelamento de Plasma) é uma opção para isto.

Não existem muitas opções para impedir a evolução do adversário, exceto Spiritomb (XY – Força Fantasma), que não é muito efetivo. Certamente, a melhor forma de atrasar o jogador de Rayquaza é com o uso de Head Ringer, que impede ele de ligar o respectivo Spirit Link, atrasando um pouco seu jogo. Além disso, também aumenta o custo de ataque, o que pode fazer você ganhar mais tempo ainda.

Também é sempre bom explorar as fraquezas do adversário. No caso do Rayquaza, a fraqueza elétrica é bastante interessante, visto que temos Raichu (XY Base) e M Manectric-EX, ambos capazes de nocautear o dragão em apenas um golpe (a forma básica do Manectric-EX nocauteia Rayquaza em um golpe, desde que ele tenha uma Tool ligada). Porém, a carta Altaria (XY – Roaring Skies), além de remover a fraqueza dos Pokémon incolores, tem a Ancient Trait Δ Evolution, que minimiza os estragos causados pelos Pokémon elétricos.

Por último, como não existem bons atacantes não-EX para o deck de Rayquaza, o uso de uma ou duas cópias de Sigyliph (BW – Legendary Treasures), Suicune (BW – Explosão de Plasma) ou até mesmo Klinklang (BW – Tempestade de Plasma) para os metais pode ser de grande ajuda.

 

SeismitoadVariações de Seismitoad

Volto a mencionar que Seismitoad-EX continua sendo uma ótima opção para disputar o Nacional. Isto porque, apesar do dano relativamente baixo, as variações de Seismitoad conseguem atrasar o adversário de tal forma que é possível comprar os seis prêmios antes dele.

O uso de cartas de remoção de energias (Hammers, Xerosic, Team Flare Grunt), Laser, neutralização de habilidades (Garbodor e Silent Lab) e compra (Slurpuff, Shaymin-EX) tornam a partida contra estes decks algo extremamente chato e irritante.

A forma mais óbvia de não ter uma experiência completamente desagradável contra este deck é não confiar demais em Itens. Use uma quantidade conservadora de Supporter e Energias. Xerosic e ataques que causam status (confusão, dormir e paralisia) são opções para diminuir as chances de seu adversário manter o “lock”.

A utilização de Pokémon de grama também é uma opção. Embora Virizion/Genesect não tenha tanta força quanto antigamente, a partida relativamente fácil contra Seismitoad pode ser um bom motivo para arriscar o deck verde. Leafeon (BW – Congelamento de Plasma) causa uma quantidade absurda de dano no sapo por apenas uma energia incolor. Decks de Flareon são praticamente que obrigados a incluir pelo menos duas cópias.

Decks de metal também têm uma vantagem natural contra Seismitoad. Isto porque Aegislash-EX não toma dano de Pokémon com energia especial, o que obriga o jogador de Seismitoad a buscar as energias básicas do deck (se tiver). Aliado ao estádio Steel Shelter (que nega os efeitos do Laser) e Bronzong (que minimiza os danos causados pela remoção de energia), Aegislash-EX pode ganhar uma partida sozinho.

 

manectricmanectricManectricVariações de Manectric

Pareado com Yveltal e Seismitoad, mesmo com a popularidade de decks lutadores, Manectric conseguiu se manter no metagame. Isto porque os ataques, tanto da forma básica quanto da Mega evolução, são simplesmente bons demais para serem ignorados.

Com a provável ascensão de Rayquaza, Manectric tende a ficar ainda melhor. Mesmo a forma básica é capaz de nocautear o M Rayquaza-EX, uma vez que quase sempre haverá o Spirit Link ligado.

Para impedir que Manectric arruíne seu dia, use Head Ringer. Com o custo de 3 energias, fica bastante difícil de energizar para atacar. Também é preciso cuidado ao ligar Tool em seus Pokémon (que aumenta o dano causado pelo Manectric-EX), principalmente naqueles com fraqueza elétrica.

Pokémon lutadores também são bastante úteis contra Manectric, especialmente Hawlucha combinado com Silent Lab, que irá ignorar a habilidade da Hawlucha, passando a aplicar fraqueza e resistência nos ataques, além do bom e velho Landorus-EX.

 

FlareonFlareon e Night March

Estes dois decks têm como grande atrativo o preço. Em relação aos decks mencionados acima, o custo para aquisição das cartas destes decks é substancialmente menor. Não por isso, os decks são fracos.

A velocidade, alto dano e utilização de atacantes não-EX são os fatores que fazem destes ótimas opções para se usar no Nacional. Poucos são os decks que conseguem realizar uma troca de prêmios favorável – um deles é o Landorus/Crobat.

Enquanto Flareon consegue encaixar uma boa quantidade de Leafeon – o que torna a partida contra Seismitoad e Groudon muito mais fáceis –, Night March possui Joltik como atacante, cujo tipo elétrico bate na fraqueza de Rayquaza e Yveltal.

Uma vez que ambos os decks confiam bastante em itens, o uso de Seismitoad e Trevenant ajuda a desacelerar o jogo. Apenas tenha cuidado com os Leafeon! Danos no banco também são essenciais para promover nocautes múltiplos por turno, já que os Pokémon destes decks possuem pouco HP.

 

KlinklangMetal

O último deck desta lista é o de metal. Analisando os decks mencionados anteriormente, é possível ver que, exceto as variações de Manectric, todos os outros utilizam energias especiais, o que torna Aegislash-EX uma carta extremamente forte, obrigando o adversário a usar energias básicas ou Silent Lab.

É bom lembrar também da possibilidade de uso do Klinklang (BW – Tempestade de Plasma), que previne os dados causados por Pokémon-EX de seus oponentes a seus Pokémon metálicos. Além de Aegislash, Dialga-EX (XY – Força Fantasma) também dá dores de cabeça ao oponente, uma vez que seu ataque impede o adversário de atacar (obrigando-o a trocar de Pokémon).

A grande desvantagem é a fraqueza única a fogo. Um único Flareon com energias básicas faz um grande estrago. Além disso, é um deck que necessita de setup, o que pode vir a ser um problema contra decks mais rápidos.

 

Conclusão

Acredito que as ideias listadas acima serão as mais populares. Obviamente aparecerão jogadores pilotando decks de Yveltal, M Gardevoir, Virizion/Genesect, Donphan, etc, mas são muitos decks e é inviável discutir sobre todos aqui. Porém, não deixe de testar seu deck ao menos uma vez contra todos estes.

Também vale lembrar que em 2013, em meio a um metagame de Darkrai, Landorus e Blastoise, quatro jogadores surpreenderam ao usar o deck “Italiano”, todos chegando ao TOP 32, um ao TOP 4 e outro em segundo lugar. No ano passado, Alex Silva usou um deck inusitado de Trevenant/Flareon/Raichu, chegando também ao segundo lugar. Feitos como estes mostram que pensar além do óbvio traz ótimos frutos. Por isso, semana que vem irei comentar de cartas com potencial para serem usadas nestes tipos de decks, conhecidos como Rogues.

E é isso, galera! Espero que vocês tenham gostado das dicas. Qualquer dúvida, sugestão ou crítica pode ser colocada aí nos comentários. Até a próxima! ;)

Sem comentários