setembro 11, 2019 -

Por/By Ives Rountree

Primeiros passos

Então você acabou de aprender a jogar o Pokémon Estampas Ilustradas, ou talvez você esteja jogando casualmente há um tempo com um deck temático e queira começar a experimentar as próprias ideias, ou talvez até mesmo queira dar o grande passo para a competição. Se qualquer um desses cenários soa como sua situação atual, você está no lugar certo, pois temos algumas ideias interessantes que podem ajudá-lo!

–//–

Getting started

So you just learned to play the Pokemon trading card game, or maybe you have been playing casually for a while with a theme deck and want to start trying ideas of your own, or maybe you want to give the big step into competitive playing, if any of those scenarios sound like one youre in then youre in the right place, since we have some interesting ideas that might help you out!

–//–

Iniciando

Así que acabas de aprender a jugar al juego de cartas coleccionables Pokemon , o tal vez has estado jugando casualmente por un tiempo con un mazo temático y quieres comenzar a probar tus propias ideas, o tal vez quieras dar el gran paso hacia el juego competitivo, si cualquiera de esos escenarios suena como uno en el que tu estás, entonces estás en el lugar correcto, ¡Ya que tenemos algunas ideas interesantes que pueden ayudarte!

Ao construir um deck do zero, a primeira coisa em que precisamos pensar é o motivo para criar esse deck, ou seja, para que vamos usá-lo, esse será o foco principal de como construir um deck. Em geral, existem duas linhas principais que você pode seguir aqui, queira você um deck para jogo casual ou competitivo e, embora seja verdade que qualquer deck competitivo possa ser usado em ambientes casuais, é improvável que seus amigos na Liga gostem de ser completamente destruídos por um deck avançado enquanto eles ainda estão jogando com Pikachus e Squirtles, a menos que você esteja testando, mas aí é algo completamente diferente. Por outro lado, usar um deck casual em torneios pode não dar os melhores resultados e pode fazer você se perguntar por que fez isso.

Um fator importante que você também pode considerar é o preço. Os decks casuais e divertidos geralmente são muito mais baratos que os decks competitivos, porque as cartas mais poderosas e úteis tendem a ser também as mais caras. Por isso, se você quer molhar os dedos na piscina do competitivo, saiba que provavelmente não será tão fácil e barato quanto o casual, mas, felizmente, Pokémon não é tão caro quanto outros jogos, então você não precisará roubar um banco para obter as cartas de que precisa.

Decidindo o formato do seu deck

Tendo decidido o que você jogará, é importante decidir em qual formato você atacará; aqui as opções são simples: se você for jogar de vez em quando, pode montar um deck de formato padrão, expandido, ilimitado ou até mesmo usar cartas proibidas, só lembre-se de sempre informar ao seu oponente o que você está usando. Os decks do formato padrão são os mais universais, e todo mundo vai querer jogar com você. Os decks do formato expandido são um pouco mais poderosos, então alguns jogadores com decks do formato padrão podem evitar jogar com você. De longe, o formato ilimitado é o mais complicado; com uma enorme gama de cartas, decks ilimitados podem ser brutais, e muitos jogadores os evitam completamente; se você estiver usando um deck ilimitado para se divertir, informe seu oponente, para que ele possa estar preparado.

No jogo competitivo, existem apenas 2 formatos, padrão e expandido. Geralmente é fácil escolher, especialmente porque expandido é um formato que quase só é jogado nos EUA; Se você é de outro lugar, raramente vale a pena ter um deck expandido competitivo. Até o Campeonato Mundial e os Internacionais, como o da América Latina, são disputados em formato padrão; portanto, essa decisão geralmente é fácil.

Decidindo o núcleo do seu deck

Decidindo onde você usará seu deck, a diversão começa, escolher o núcleo do deck, ou a ideia principal por trás do que você vai construir. Se você está planejando jogar casual, então você tem um espectro mais amplo para escolher, pode tentar montar um deck com seu Pokémon favorito (que é uma tradição muito longa e famosa no jogo), ou usar um ataque superpoderoso de um Pokémon, ou até mesmo tentar ganhar usando uma mecânica divertida. A habilidade MÃO do Unown é um ótimo exemplo, mostrando uma maneira completamente diferente de ganhar um jogo, mudando também completamente a maneira como você aborda uma partida.

No caso do competitivo, você está muito mais restrito. Como os resultados são os que mais importam, você abordará 2 caminhos principais para a construção de deck: monte um deck tradicional ou escolha o caminho Rogue. No caso de decks competitivos tradicionais, você verá os decks usuais que todos usam nos torneios atualmente. Atualmente, por exemplo, Reshizard (Aliados Charizard e Reshiram-GX) e Pikarom (Aliados Pikachu e Zekrom-GX) são muito comuns, e você verá muitas as pessoas que as jogam e, por um bom motivo: a versatilidade dessas cartas e o elenco em torno delas as tornam extremamente sólidas e difíceis de derrotar. Mas se você quer surpresas ou se sua área está repleta de decks específicos, a criação de um deck Rogue pode ser uma boa opção. Isso significa criar um deck que leve em conta as fraquezas do deck que você mais espera enfrentar em um torneio. Você pode usar os tipos aos quais o deck tradicional é fraco, ou pode tentar combater as estratégias mais comuns de decks, para que eles não estabeleçam seu plano de jogo; o problema é que decks Rogues feitos com o espírito antimeta geralmente falham contra a maioria dos outros decks, então isso funcionará melhor quando tiver certeza de que não enfrentará muitos decks diferentes. Outra opção divertida no estilo Rogue é simplesmente usar um deck simples e rápido e versátil. Um bom exemplo é Golduck de Sol e Lua, junto com Starmie de Evoluções, eles podem bater forte e muito rápido. Outro bom exemplo é Quagsire de Dragões Soberanos, que é um Pokémon muito versátil, que permite movimentar energia e também bater forte, se necessário.

Em suma, a parte importante desta etapa é identificar o que define o seu deck, e construiremos em torno dele.

Dominando proporções

Agora que você tem uma ideia do que vai fazer, podemos começar a discutir estratégias para a construção. A primeira parte é, definitivamente, proporções. Lembro-me de que quando aprendi a construir decks, a norma era criar um equilíbrio. Deck 20/20/20, isso significa usar algo em torno de 20 Pokémon, 20 treinadores e 20 cartas de energia. Apesar de alguns decks ainda usarem um spread semelhante, não é o que você normalmente vê hoje em dia. Muito raramente, você usaria tanta energia agora, e usar 10-12 energias parece estar muito mais alinhado com a tendência moderna. Então, em Pokémon, você geralmente verá apenas 12, e raramente ultrapassará 18, dependendo, principalmente, se você estiver usando linhas evolutivas ou não. O verdadeiro cerne do deck são as cartas de Treinador, é o que geralmente define seu sucesso. Como você já deve ter percebido, seu deck médio será composto por cerca de 30 Treinadores, e eles farão o deck correr ou rastejar, o que significa que precisamos ter cuidado com quantos usar, principalmente porque os Apoiadores são extremamente úteis, mas apenas podem ser usados uma vez por turno, o que significa uma mão congelada se você tiver múltiplos ao mesmo tempo; por outro lado, os itens não são tão poderosos, mas você pode usar quantos quiser. O número que você vê hoje em dia geralmente gira em torno de 8-10, e também não podemos esquecer os 2 heróis menos famosos dos decks, estádios e ferramentas, 2-3 são obrigatórios atualmente, especialmente estádios, já que não usar estádios para combater seus oponentes pode ser a melhor estratégia possível, já que alguns estádios, como os de prisma, são incrivelmente vantajosos e definitivamente influenciarão o jogo a favor dos jogadores.

A Variedade

Depois de falarmos sobre os números aproximados que você usará para o seu deck, vem a parte importante, o que e quanto vou usar em cada um deles.

No caso de energias, é a mais direta. Você usará as energias do tipo que está jogando. Você pode adicionar algumas energias especiais se estiver planejando alguma surpresa ou estratégia alternativa. Cartas como a Energia de Arco-íris são úteis se você tiver um atacante de um segundo tipo, ou para acionar certos efeitos. A Energia de Reciclagem pode ser útil se você precisar descartar ou recuar muito. Tenha cuidado, porém, as cartas especiais de energia têm um talento especial para permanecer no descarte e serem difíceis de pegar do deck, então use com moderação.

Quando se trata de Pokémon, a ideia é simples: você precisa de básicos para começar o jogo e não quer dar muitos mulligans ao seu oponente, então você precisa de pelo menos uns 10 Pokémon básicos, o resto pode ser de linhas de estágio 1 ou estágio 2. Usar muitas linhas de estágio 2 não é impossível, mas elas tendem a ser muito lentas e tornam a configuração da sua estratégia um pouco mais desafiadora, então vamos tentar ficar com no máximo 1 das linhas do estágio 1 e 2 em um deck. Quando se trata de GXs e Aliados, tenha cuidado. Iniciar um jogo com uma carta de Aliados isolada pode significar desgraça, já que o oponente poderá eliminá-lo antes que você tenha tempo de prepará-lo corretamente, então adicione um ou dois de cada.

Mas a parte difícil é, de longe, escolher os Treinadores. Discutimos um pouco sobre na última seção, mas agora precisamos abordar mais diretamente, existem algumas cartas chamadas de “staples”. Elas são as que quase todos os decks usam basicamente por causa de seus uso universal, eles se encaixam em todos os decks e definitivamente ajudarão no seu. Enquanto alguns Pokémon foram considerados staple em seu tempo (Tapu Lele vem à mente), isso é raro e alguns decks não os usam. Já os cards de Treinador tendem a ser bastante universais. Uma pequena lista deles são cards como Cíntia, Lílian, Comunicação Pokémon, Carimbo de Recomposição e Pokégear. Essas cartas acharão um jeito de se encaixarem nos seus decks, e há pouquíssimas razões para não usá-las. Como você pode ver, a maioria deles é de pesquisas por cartas específicas ou mecanismos de draw, que é uma mecânica super importante em um jogo.

Após a adição dos staples, o próximo passo é usar os Treinadores específicos  para a estratégia do deck e do tipo. Isso significa que existem cards extremamente bons que funcionam apenas em decks específicos ou em estratégias específicas, como por exemplo, a Soldadora, que um card ótimo, mas como é específico para o tipo Fogo, nem todo deck pode usá-lo. Outro grande exemplo é o Tesouro Misterioso. Quanto a estratégias específicas, pois para treinadores de estratégias específicas, existem cartas como a Pá Travessa, se você quiser acabar com o deck do seu oponente. Certifique-se de analisar quais cartas têm sinergia com seu deck, a fim de maximizar sua potência.

Cartas de estádio e de ferramentas também tendem a cair nessa situação, uma vez que tendem a ser do tipo específico, como a Fábrica de Calor Estrela Prisma, ou a estratégias específicas, como Santuário da Punição. As cartas de ferramentas são extremamente específicas da estratégia, como a Faixa de Caratê, ou Cinto de Alvoroço, então você terá uma boa noção de quando usá-los em um deck.

Ajustando o deck

Agora que você tem a forma mais pura do seu deck, versão 1.0, estamos prontos para encerrar o dia? Absolutamente não, o deck precisa ser testado e jogado para que você possa analisar o que mais te atrapalha, se precisa de mais velocidade, mais Pokémon básicos ou mais energias.

Ajustar significa que você adicionará ou removerá uma ou duas cópias de um card que estava usando, para não ter demais ou de menos; às vezes as pessoas sentem que 4 Cíntias são demais; portanto, ter 3 é a opção da maioria dos Treinadores, ou ter apenas um Carimbo de Recomposição não é suficiente, pois pode facilmente ir parar nos prêmios, fazendo com que adicionar um segundo seja desejável. A situação tem a ver com seu estilo pessoal, então não se preocupe com o que as pessoas podem dizer ou pensar, customize o deck para ser o que você quer, personalizado para você!

Finalmente, chegamos à parte final de ajustes, que pode tornar seu deck verdadeiramente especial. Você geralmente precisa adicionar uma ou duas cópias de um card específico para combater uma situação específica, algo que pode atrapalhar seu deck ou cobrir uma grande fraqueza na sua estratégia. Esses cards não costumam ser associados à escolha do deck que você fez, mas uma surpresa bem aplicada pode influenciar completamente uma partida a seu favor e até te dar a vitória num torneio! Eles podem ser qualquer tipo de card, até mesmo uma energia ou Pokémon (Pokémon Prisma são ótimos ajustes, no geral), mas o tema geral é que eles têm uma tarefa muito específica a ser executada e não são universalmente usados na sua seleção de decks, como usar Juiz se você ficar sem cartas com frequência. Tudo acontecerá naturalmente quando você começar a jogar e perceber as falhas do seu deck.

Pensamentos finais

A construção de decks é uma parte extremamente divertida do jogo, e sua importância é igual a aprender a pilotar adequadamente seu deck. Em minha opinião, cada fator é 50%, embora algumas pessoas possam até dizer que a construção e a seleção de deck podem ser até mais importantes, pois um embate favorável tornará mais fácil vencer um oponente com menos habilidade que você.

Além de tudo isso, o deckbuiding é uma forma de expressão, é uma maneira criativa de abordar o jogo, e pode ser uma ferramenta eficaz para desenvolver a criatividade e a imaginação. Por isso, muitas pessoas constroem decks divertidos, e nem sempre monstros prontos para torneios; afinal de contas, com a enorme gama de Pokémon à disposição , seria um desperdício não tentar fazer uma criação grandiosa para chamar de sua, e quem sabe? Talvez você construa o próximo deck campeão mundial!

When Building a deck from scratch the first thing we need to think about is the reason to create that deck, or in other words, what are we gonna be using that deck for, that is going to be the main focus of how to build a deck. In general there are 2 main lines you can follow here, you want a deck for casual play or for competitive play, and while it is true that any competitive deck can be used in casual environments, its unlikely your friends at league are going to enjoy being thoroughly destroyed by an advanced deck while they are still playing with Pikachus and Squirtles, unless of course youre playtesting, but that’s a complete different thing. Inversely using a casual deck in tournaments might not yield the best results, and might make you question why you did that.

A big factor you might want to consider too is price, casual and fun decks are usually much cheaper than competitive decks, because the most powerful and useful cards have a tendency to also be the more expensive ones, so if you are looking to dip your toes in the competitive pool make sure you are aware that it likely not going to be as easy and cheap as casual, but luckily Pokemon is not as expensive as other games, so you wont have to rob a bank to get the cards that you need.

Deciding the format of your deck

Having decided what you will be playing for, its important to decide what format you will attack, here the options are simple, if you are playing casual you can build a standard format deck, an expanded format deck or an unlimited deck, you can even use forbidden cards, but it’s always important to let your opponent know what you are using before you start. Standard decks might be the most universal, and everyone will want to play with you, Expanded decks are a bit more powerful so some standard players will rather avoid playing with you, but by far unlimited is the trickiest one, with a massive pool of cards, unlimited decks can be brutal so many players completely avoid them like the plague, if you are using a fun unlimited deck let your opponent know, he might be up for it.

In competitive play there are only 2 formats, standard and expanded, its usually a no brainer which one to use, especially because expanded is a format only almost played on the USA, if you are from anywhere else its rarely worth it to have an expanded competitive deck, even the World Championships are played in standard format, so this decision is usually easy.

Deciding the core of your deck

Once you have decided where youre going to be using your deck, that’s when the fun begins, the core of your deck, or the main idea behind what youre going to build. If you are planning for casual play then you have a broader spectrum to  choose from, you could try to assemble a deck with your favourite Pokemon (which is a very long and storied tradition in the game),Use a super powerful attack from a Pokemon or try to win using a fun mechanic. Unowns  hand ability, which is a great example showcasing a completely different way to win a game, and changes completely how you approach a game.

In the case of competitive youre far more restricted, since results is the thing that matters the most, you will approach 2 major paths for deckbuilding, go mainstream or try to go Rogue. In the case of mainstream competitive decks, youll see the usual decks everyone uses at tournaments nowadays, in our present time for example Reshizard (Charizard and Reshiram tag team) and Pikarom (Pikachu and Zekrom tag team) are very common and youll see lots of people playing them and for a good reason, the versatility of those cards and the cast around them make them extremely solid and difficult to defeat. But if you want surprises or if your area is swarming with a specific deck creating a Rogue deck might be a good option, this means creating a deck that takes the weaknesses of the deck you anticipate the most to face in a tournament, you can straight use the types that the main deck are weak to, or try and combat the decks strategy so they cant establish their gameplan, the issue is that rogue decks made in the anti-meta spirit will usually fail against most other decks, so this will better work when you are certain you wont fight many different decks. Another fun option in Rogue style is simply to use a deck that’s simple quick and versatile, a good example is Golduck from sun and moon, paired up with Starmie from evolutions, they can hit hard and very fast, another good example is Quagsire from dragon majesty, which is a very versatile pokemon that lets you  move energy around and also lets you hit hard if needed.

All in all the important part at this step is to identify whats the thing that defines your deck, and from there we will be building around it.

Mastering proportions

Now that you have an idea of what youre gonna be doing we can start discussing strategies for building, the first part is definitely proportions, I remember that back in the day when I learnt to build decks, the norm was to make a balanced 20/20/20 deck, that means using something around 20 pokemon, 20 trainers and 20 energy, whikle some decks might still use a similar spread, that’s not what you will usually see nowadays, very rarely would you play that many energy now, and using 10-12 energies seem to be much more in line with what is the modern trend, then about pokemon, you will usually see as low as 12 but rarely going past 18, mostly depending if youre using evolution lines or not, but using up to 20 is rare, and the real meat of the deck are the trainer cards, this is what usually will make or break your deck. As you may have realized by now, your average deck will comprise of around 30ish trainers, and they will make the deck run or crawl, so that means we have to be careful on how many to use, mostly because supporters are extremely useful, but only being bale to use once per turn  means a frozen hand if you have multiples at  the same time, conversely items are not as powerful, but you can use as many as you want, the number you see nowadays usually go around the 8-10 and also lets not forget the 2 unsung heroes from decks, stadiums and tools, 2-3 each is a must nowadays, especially stadiums since not using stadiums to counter your opponents might be the best possible strategy since some stadiums, like the prism ones are incredibly advantegous and will definitely sway the game in a players favour.

The  Variety

Once we have spoken about the rough numbers youll be using for your deck then comes the important part, what and how much will I be using of each.

In the case of energies it’s the most straightforward one, youll be using the energies of the type you are playing, you may want to add a few special energies if you are planning some surprise or alternate strategy, cards like rainbow energy are useful to use a second type attacker, or to trigger certain effects, recycle energy might come in handy if you need to discard or retreat much, be careful though, special energy cards have a knack for staying on the discard and being difficult to pull from the deck, so use sparingly.

When it comes to Pokemon the idea is simple, you need basics to start the game and you don’t want to be giving too many mulligans to your opponent, so you need at least a good 10ish basic pokemon, the rest can be stage 1 or stage 2 lines, using multiple stage 2 lines isn’t impossible but they tend to be very slow and make setting up your strategy a little more challenging, so lets try and stay with max 1 of stage 1 and 2 lines in a deck. When it comes to GXs and tag teams be careful, starting a game with a lone Tag team might spell doom, since the opponent might be able to take it out before you have time to set it up properly, so add one or two each.

But the difficult part is by far the trainers, we discussed a bit on the last section, but now it needs to be addressed more directly, there are some cards called staples, this cards are the ones that almost every deck use basicly because of their universal use, they fit in every deck and they will definitely help in yours, whilst some pokemon have been considered staples in their time (tapu lele comes to mind) its rare and some decks don’t use them, while trainer cards tend to be quite universal, a small list of them are cards like Cynthia, Lillie, Pokemon Communication, Reset stamp and Pokegear. This cards will universally find their way into decks, and there is very little reason not to use them. As you can see most of them are either specific card searches or straight up darwing engines, this are super important mechanics in a game.

After the staples have been added  the next step are using the deck specific strategy trainers and type specific trainers, this means that there are extremely good cards that only work in specific decks or in specific strategies, for example Welder is a massive card, but given its Fire specific typing not every deck can use it, another great example is Mysterious treasure, as for specific strategy type trainers there is cards like trick shovel if youre going for a decking out option. Make sure you analyse which cards have a type or strategy specific angle that falls in line with your deck in order to maximize its potence.

Stadium cards and tool cards tend to fall in this space as well, since they tend to be type specific like Heat Factory prism, or strategy specific like Shrine of punishment, tool cards are extremely strategy specific like Karate belt or Hustle belt, so you will have a very good idea of when to use them in a deck.

Teching and tweaking

So now you have the purest form of your deck, version 1.0 if you will, are we ready to call it a day? Absolutely not, the deck needs to be tested and played so you can analyse what hurts it the most, if it needs more speed, or more basics or more energies.

Tweaking means that you will add or remove one or two copies of a card that you were using so that you don’t run too many or too few, sometimes people feel like 4 Cynthias are too many, so going for 3 is in many trainers mind, or just playing one reset stamp isn’t enough because it may go to prizes easily, so adding a second is sometimes desireable, here it comes down to your personal style and taste, so don’t worry about what people may say or think, customize the deck to what you want it to be so you have a tailor made experience!

Finally comes the ace under your sleeve that may make your deck truly special, Teching, teching usually means to add a one of or even 2 of a specific card to counter a specific situation, something that may otherwise hinder your deck, or to cover a massive weakness in your strategy, this cards aren’t usually associated with the deck choice you’ve made, but a surprise well applied tech might completely sway a match in your favour and win you a tournament even! They can be any type of card, even an energy or pokemon (prism pokemon are great techs in general) but the overall theme is that they have a very specific task to do and they aren’t universally used in your deck selection, like using judge if you run out of cards often, it will all come naturally once you start playing and noticing the shortcomings of your deck.

Parting thoughts

Deck building is a massively fun part of the game, and its equally important as learning how to properly pilot your deck, in my mind I think they have a 50-50 importance, though some people may even say that deckbuilding and selection might be even more important because a favourable matchup will be far easier to win even with less skill than your opponent.

But aside from all that, deckbuiding is a way of expression, it’s a creative way to approach the game, and it can be an effective tool to develop creativity and imagination, hence why a lot of people build fun decks and not always tournament ready behemoths, with all the cards at your disposal in the huge pokemon pool it would be a waste not to try and make a grandiose creation to call your own, and who knows? Maybe youll build the next world champion deck!

Cuando construimos un mazo desde cero, lo primero que debemos pensar es en la razón para crear ese mazo, o en otras palabras, para qué vamos a usar ese mazo, ese será el enfoque principal de cómo construir un mazo. En general, hay dos líneas principales que puedes seguir aquí, ¿Quieres un mazo para juego casual o para juego competitivo?, y si bien es cierto que cualquier mazo competitivo se puede usar en entornos casuales, es poco probable que tus amigos en la liga disfruten siendo completamente aniquilados por un mazo avanzado mientras todavía están jugando con Pikachus y Squirtles , a menos que, por supuesto, estés probando en preparación para un torneo, pero eso es algo completamente diferente. Inversamente, usar un mazo informal en torneos podría no producir los mejores resultados, y podría hacerte preguntarte por qué hiciste algo como eso.

Un gran factor que quizás desees considerar también es el precio, los mazos casuales y divertidos suelen ser mucho más economicos que los mazos competitivos, porque las cartas más potentes y útiles tienden a ser también las más caras , por lo que si estás buscando sumergir tus en el grupo competitivo asegurate que eres consciente de que probablemente no será tan fácil y barato como casual, pero afortunadamente Pokemon no es tan caro como otros juegos, por lo que no tendrás que robar un banco para obtener las cartas que necesitas .

Decidir el formato de tu mazo

Habiendo decidido para qué jugarás, es importante decidir a qué formato atacarás, aquí las opciones son simples, si estás jugando casual puedes construir un mazo de formato estándar, un mazo de formato expandido o un mazo ilimitado, incluso puedes usar cartas prohibidas, pero siempre es importante que tu oponente sepa lo que estás usando antes de comenzar. Los mazos estándar pueden ser los más universales, y todos querrán jugar contigo, los mazos expandidos son un poco más poderosos, por lo que algunos jugadores estándar evitarán jugar contigo, pero por mucho ilimitado es el más complicado, con una gran cantidad de cartas , los mazos ilimitados pueden ser brutales, por lo que muchos jugadores los evitan por completo como si fueran la peste, si estás usando un mazo ilimitado divertido, avísale a tu oponente, podría querer jugar contigo en ese caso.

En el juego competitivo, solo hay 2 formatos, estándar y expandido, por lo general no es fácil elegir cuál usar, especialmente porque el expandido es un formato que casi solo se juega en los EE. UU., Si tu eres de otro pais, rara vez vale la pena tener un  mazo competitivo expandido, incluso los Campeonatos del Mundo se juegan en formato estándar, por lo que esta decisión suele ser fácil.

Decidir el núcleo de tu mazo

Una vez que hayas decidido el formato que vas a jugar con tu mazo es cuando comienza la diversión, el núcleo de tu mazo, o la idea principal detrás de lo que tu vas a construirlo. Si estás planeando un mazo casual, entonces tienes un espectro más amplio para elegir , puedes intentar armar un mazo con tu Pokémon favorito (que es una tradición muy larga e histórica en el juego) , un ataque súper poderoso de un Pokémon o incluso intentar ganar usando una mecánica divertida ,mira La  habilidad “Hand” de Unown , es un gran ejemplo que muestra una forma completamente diferente de ganar un juego, y cambia completamente la forma en que atacas a un juego.

En el caso del competitivo, estás mucho más restringido, ya que los resultados son lo que más importa, te acercarás a 2 caminos principales para la construcción de mazos, ir a la corriente principal o tratar de ir al Rogue. En el caso de los mazos competitivos convencionales, Veras los mazos que todo el mundo utiliza habitualmente en los torneos de hoy en día, por ejemplo Reshizard ( Charizard y Reshiram Relevos) y Pikarom (Pikachu y Zekrom Relevos) son muy comunes y  veras un montón de personas que los juegan y por una buena razón, la versatilidad de esas cartas y el reparto a su alrededor las hacen extremadamente sólidas y difíciles de derrotar. Pero si quieres sorpresas o si tu área está repleta de un mazo específico, crear un mazo  Rogue podría ser una buena opción, esto significa crear un mazo que tome las debilidades del mazo que más esperas enfrentar en un torneo, puedes usar los tipos con los que el mazo principal es débil, o intenta combatir la estrategia central de mazos para que no puedan establecer su plan de juego , el problema es que los mazos rebeldes (Rogue) hechos en el espíritu anti-meta generalmente fallarán contra la mayoría de los otros mazos, por lo que esto funcionara mejor cuando estés seguro de que no pelearás con muchos mazos diferentes. Otra opción divertida en el estilo Rogue es simplemente usar una baraja que sea rápida y versátil, un buen ejemplo es Golduck de Sol y la Luna (Sm1), emparejado con Starmie de  Evoluciones, pueden golpear duro y muy rápido, otro buen ejemplo es Quagsire de Dragón Majesty, que es un pokemon muy versátil que te permite mover energía y también te permite golpear fuerte si es necesario.

En general, la parte importante en este paso es identificar qué es lo que define tu mazo, y desde allí construiremos alrededor de él.

Dominar las proporciones

Ahora que tiene una idea de lo que tu estáras haciendo podemos empezar a discutir las estrategias para la construcción, la primera parte es definitivamente proporciones, recuerdo que en el pasado cuando yo aprendí a construir mazos, la norma era hacer un equilibrado 20 / 20/20 de mazo, eso significa usar algo alrededor de 20 pokemon , 20 entrenadores y 20 energías, aunque algunos mazos aún podrían usar una extensión similar, eso no es lo que normalmente verás hoy en día, muy raramente jugarías tanta energía ahora, y usando 10-12 energías parece estar mucho más en línea con lo que es la tendencia moderna, luego, en lo que respecta a pokemon , generalmente verás tan bajo como 12 pero rara vez pasarás de 18, principalmente dependiendo de si estás usando líneas de evolución o no, pero usando alrededor de 20 es muy inusual, y la verdadera carne del mazo son las cartas de entrenador, esto es lo que generalmente hará o romperá tu mazo. Como ya te habrás dado cuenta, tu mazo promedio comprenderá alrededor de 30 entrenadores, y harán que el mazo corra o se arrastre, lo que significa que debemos tener cuidado con cuántos usar, principalmente porque los partidarios (supporters)  son extremadamente útiles, pero solo puedes usarlos una vez por turno lo que significa una mano congelada si tienes múltiples al mismo tiempo, por el contrario, los objetos (ítems)  no son tan poderosos, pero puedes usar tantos como quieras, el número que ves hoy en día generalmente ronda el 8-10 en el caso de los partidarios y no olvidemos a los 2 héroes olvidados de mazos, estadios y herramientas, 2-3 de cada uno es una necesidad hoy en día, especialmente en los estadios ya que no utilizar los estadios para contrarrestar a los de tus oponentes podría no ser la mejor estrategia posible, ya que algunos estadios, como los que son de prisma son increíblemente ventajosos y definitivamente influirán en el juego a favor de los jugadores.

La Variedad

Una vez que hayamos hablado sobre los números aproximados que usarás para su mazo, viene la parte importante, qué y cuánto usaras de cada uno.

En el caso de las energías, es la más sencilla, usarás las energías del tipo que estás jugando, es posible que desees agregar algunas energías especiales si estás planeando alguna estrategia sorpresa o alternativa, las tarjetas como la energía del arco iris son útiles para usar un segundo tipo de atacante, o para activar ciertos efectos, la energía de reciclaje puede ser útil si necesitas descartar o retirarse mucho, ten cuidado sin embargo, las tarjetas de energía especiales tienen la tendencia a permanecer en el descarte y ser difíciles de sacar del mazo, así que usalas con moderación.

Cuando se trata de Pokemon la idea es simple, necesitas pokemon básico para iniciar el juego y no quiere estar dando demasiados mulligans a tu oponente, por lo que necesita al menos un buen numero de básicos, unos 10 pokemon , el resto puede ser de líneas fase 1 o fase 2 , utilizando múltiples líneas de fase 2  no es imposible, pero tienden a ser muy lento y hacer que la configuración de la estrategia un poco más difícil, por lo que vamos a tratar de mantenernos con un máximo de 1 de la línea de fases 1 y 2 en el mazo. Cuando se trata de GX y Relevos (tag team), ten cuidado, comenzar un juego con un Relevo solitario podría significar fatalidad, ya que el oponente podría eliminarlo antes de que tengas tiempo para equiparlo correctamente, así que agrega uno o dos cada uno nada mas.

Pero la parte difícil es, por mucho, los entrenadores, discutimos un poco en la última sección, pero ahora debe abordarse más directamente, hay algunas cartas llamadas staples, estas cartas son las que casi todos los mazos usan básicamente debido a su uso universal, caben en cada mazo y definitivamente ayudarán en el tuyo, mientras que algunos pokemon han sido considerados staples en su tiempo ( tapu lele viene a la mente) es raro y algunos mazos no los usan, mientras que las cartas de entrenador tienden a ser bastante universales, una pequeña lista de ellas son cartas como Cynthia, Lillie, Pokémon Communication, Reset stamp y Pokegear . Estas cartas se encontrarán universalmente en mazos, y hay muy pocas razones para no usarlas. Como puedes ver, la mayoría de ellos son búsquedas de cartas específicas o motores de robo de carta , esta es una mecánica súper importante en un juego.

Una vez que se han agregado los staples, el siguiente paso es usar los entrenadores de estrategia específicos de mazo y entrenadores específicos de tipo, esto significa que hay cartas extremadamente buenas que solo funcionan en mazos específicos o en estrategias específicas, por ejemplo, Welder es una carta masiva, pero dado su tipo de fuego específico no todos los mazos pueden usarlo, otro gran ejemplo es el tesoro misterioso,  para los entrenadores de tipo de estrategia específica hay cartas como pala de truco si buscas una opción de destrucción de mazo. Asegúrate de analizar qué cartas tienen un ángulo específico de tipo o estrategia que coincida con tu mazo para maximizar su potencial .

Las cartas de estadio y las herramientas también tienden a caer en este espacio, ya que tienden a ser específicas del tipo como el prisma de la Fábrica de Calor, o estrategias específicas como el Santuario del castigo, las tarjetas de herramientas son extremadamente específicas de la estrategia como el cinturón de Karate o el cinturón Apremio, por lo que es fácil tener una muy buena idea de cuándo usarlos en un mazo.

Teching y ajustes

Entonces, ahora tiene la forma más pura de tu mazo, la versión 1.0 por asi decirlo, ¿estamos listos para decir que esta terminado? Absolutamente no, el mazo necesita ser probado y jugado para que puedas analizar qué es lo que más le afecta, si necesita más velocidad, o más pokemon básicos o más energías.

Ajustar significa que agregarás o eliminarás una o dos copias de una tarjeta que estaba usando para que no corra demasiadas o muy pocas, a veces las personas sienten que 4 Cynthias son demasiadas, por lo que elegir 3 está en muchos planes de entrenadores, o simplemente jugar un sello de reinicio (reset stamp) no es suficiente porque puede ir a premios fácilmente, por lo que agregar un segundo a veces es deseable , aquí se trata de tu estilo y gusto personal, así que no te preocupes por lo que la gente pueda decir o pensar, personaliza el mazo como desees para que tenga una experiencia personalizada.

Finalmente viene el as bajo  la manga que puede hacer que tu mazo sea realmente especial. Teching , teching generalmente significa agregar uno o incluso 2 de una carta específica para contrarrestar una situación específica, algo que de otra manera podría obstaculizar tu mazo, o cubrir un Debilidad masiva en su estrategia, estas cartas generalmente no están asociadas con la elección del mazo que ha hecho, ¡pero una Tech sorpresa bien aplicada podría influir por completo en un partido a su favor y ganar un torneo incluso! Pueden ser de cualquier tipo de tarjeta, incluso una energía o pokemon (los prisma pokemon son grandes tech en general), pero el tema general es que tienen una tarea muy específica que hacer y que no son de uso común en el mazo, como el uso de Juez (Judge) si te quedas sin cartas con frecuencia, todo será natural una vez que comiences a jugar y notes las deficiencias de tu mazo.

Pensamientos de despedida

La construcción de mazos es una parte enormemente divertida del juego, y es igualmente importante como aprender a pilotar adecuadamente tu mazo, en mi opinión, creo que tienen una importancia de 50-50, aunque algunas personas incluso pueden decir que la construcción y selección de mazos podría ser incluso más importante porque un enfrentamiento favorable será mucho más fácil de ganar incluso con menos habilidad que tu oponente.

Pero aparte de todo eso, la construcción de mazos es una forma de expresión, es una forma creativa de acercarse al juego, y puede ser una herramienta efectiva para desarrollar la creatividad y la imaginación, de ahí que muchas personas construyan mazos divertidos y no siempre mosntruos listos para torneo. , con todas las cartas a tu disposición en el enorme grupo de Pokémon , sería un desperdicio no intentar hacer una creación grandiosa para llamarla tuya, ¿y quién sabe? Tal vez el construyas el próximo mazo campeón del mundo!

Tag: , ,