dezembro 13, 2016 -

basecopag3

Saudações, treinadores e treinadoras!

Hoje encerraremos nossas matérias sobre probabilidades em Pokémon TCG. Se você não sabe do que eu estou falando, pode se aprimorar um pouco mais na parte matemática de Pokémon TCG clicando na primeira e segunda matéria, respectivamente: Mão Inicial e Mulligan; e; Pokémon Básico Ideal e Suporte Ideal.

Falaremos aqui sobre análise das estatísticas colhidas até então, um pouco sobre o formato atual e também sobre o controle do deck.

Nas publicações passadas, pudemos estudar um pouco sobre o deck de TurboToad (clique aqui para conferir a decklist), mas falta apresentar o resumo de tudo o que já vimos. Deixando de lado as partes mais estratégicas dentro do game, nós concluímos quanto ao deck que:

  • A probabilidade do deck não sofrer Mulligan é: 83,72%
  • A probabilidade do Pokémon Inicial ser um ideal é: 78,07%
  • A probabilidade de ter ao menos 2 Pokémon Básico na mão (diminuindo o risco de Donk-nocaute do Pokémon Ativo sem Pokémon no Banco) é: 56,83%
  • A probabilidade da Mão Inicial vir com um Suporte é: 64,73%
  • A probabilidade da Mão Inicial vir com um Suporte Ideal (Manutenção de Mão) é: 65,93%

Se fizermos uma análise por meio destas estatísticas, podemos perceber que que o deck Turbo Toad apresenta uma excelente chance de não sofrer Mulligan e não conceder cartas extras para o adversário. Além disso, a probabilidade é que em 78,07% de suas partidas, o deck inicie com pelo menos um Pokémon básico ideal, que consideramos ser os Pokémon que atacam (excluindo Shaymin EX, Hoopa EX e Manaphy EX).

Já quando consideramos os Apoiadores, parece haver uma certa fraqueza, uma vez que a probabilidade de ao menos um Apoiador estar na mão inicial é de 64,73%. Desses, a chance de algum que trate de manutenção de mão é de 65,93% – algo muito baixo. O ideal para os decks de Pokémon TCG em formatos passados sempre girou em torno da linha 80-90% de conseguir um Apoiador, tendo quase o mesmo índice para Apoiadores que realizem alguma manutenção de mão.

Mas calma! Perceba que eu disse em negrito “em formatos passados”. Atualmente, o formato de Pokémon TCG mudou consideravelmente. O jogo, que anteriormente já era considerado rápido para muitos, ficou algumas ainda mais dinâmico e o grande motivo disso também possui relação com as probabilidades.

zangoose usando slash

Melhor nem piscar, senão…

Vamos considerar esse tempo logo com o lançamento das primeiras coleções XY, ok? Os decks de Pokémon costumavam ter uma manutenção de mão por turno – ou até mesmo duas – em decks que utilizavam de certas habilidades e ataques de determinados Pokémon. Isto quer dizer que o jogo proporcionava manutenções e cálculos probabilísticos mais estáticos. Afinal, era essencial conseguir um Apoiador de manutenção de mão nos primeiros turnos, ou seu jogo ficaria travado e incapaz de reagir.

Hoje, as coisas já são diferentes – muito, inclusive. A manutenção de mão, que quase sempre foi prioridade em Pokémon TCG e que era uma função quase exclusiva dos Apoiadores, alterou-se para os Pokémon e até algumas cartas Treinadores Item, mas principalmente por causa da junção de cartas como Shaymin EX + Hoopa EX + Ultrabola.

Antes, a manutenção de mão que era limitada em até 2 vezes por turno, agora pode chegar até a 4 ou 5 vezes, sem contar que existem diversas cartas item que aceleram e diminuem ainda mais a probabilidade de se comprar “cartas inúteis” para a partida – Compressor de Batalha (Expandido), Bicicleta Acro e Correio dos Treinadores, por exemplo – além da não tão preocupante possibilidade de descartar diversos Apoiadores a troco de nada para serem reutilizados com o Explorador VS.

Dada essa velocidade, não é raro que antes da última rotação, muitos jogadores iniciantes que usavam um deck completo de Vespiqueen ou Night March (com seus 3x ou 4x Shaymin EX) acabassem sendo derrotados por Over Deck/Deck Out. Há uma velocidade tão grande em certos decks, que às vezes empolgação toma conta e o turno não acaba nunca. Também é por isso que a grande maioria dos decks utiliza muito mais cartas Treinadores do que cartas Energias e Pokémon juntas, pois como se compete com um deck rápido? Sendo mais rápido do que ele? Bem, nem sempre.

Seguir o Meta (dessa velocidade) é a opção mais evidente, mas é também por isso que há diversos decks e que geralmente chegam aos diversos Top-Cuts pelo mundo inteiro – que jogam com deck Anti-meta, com o Lock, com o travar de cartas Treinadores Item e Ferramenta, caso do Vileplume (Deck campeão Nacional Brasileiro – Master), do Trevenant da XY1 e do Seismitoad EX (em formatos passados) – ou travando entre outras cartas como energias especiais e estádios, Giratina EX (Vice-Campeão Nacional Norte-Americano – Master). Ou mesmo Habilidadades com o Garbodor (Turbo Colisão).

Dessa forma, as possibilidades se estendem muito mais, principalmente após o primeiro turno. Vamos analisar o deck Turbo Toad por outra perspectiva:

  • Probabilidade do Deck não sofrer Mulligan é: 83,72%
  • Probabilidade do Pokémon Inicial ser um ideal é: 78,07%
  • Probabilidade de ter ao menos 2 Pokémon Básico na mão é: 56,83%
  • Probabilidade da Mão inicial vir com um Apoiador é: 64,73%
  • Probabilidade da Mão inicial vir com um possibilidade de Manutenção de Mão é: 81,72%
  • Probabilidade dos 3x Shaymin EX estarem nas Prize Cards: 0,28%

Nessa análise, substituí o Apoiador ideal pela opção de “Manutenção de Mão” de uma forma geral, na qual incluí, além dos 2X Juíz e 3x Sycamore, também 4x Ultra Bola. Além disso, você ainda tem a possibilidade de utilizar o Correio dos Treinadores para comprar qualquer uma dessas cartas de manutenção de mão caso nenhuma delas já esteja na sua mão inicial. A probabilidade varia conforme as cartas de Prêmio selecionadas.

Também adicionei nessa nova análise um novo tópico, a probabilidade dos Shaymin EX estarem nas cartas Prêmio caso você não tenha nenhum deles na mão, evitando assim o “desperdício” de uma Ultra Bola. Como pudemos ver, a probabilidade de os 3x Shaymin EX estarem nas Prêmios é extremamente baixa, de apenas 0,28%. É por isso que a maioria dos decks utiliza 3x Shaymin EX ao invés de 4x, pois com 3x Shaymin EX no deck, há sempre uma excelente probabilidade de ao menos um deles aparecer. Deixo abaixo uma tabela sobre a probabilidade dos Shaymin EX estarem nas Prêmios. Ela pode te ajudar nas Tech e no pensamento de quantos Shaymin EX valem a pena ter no deck. Também pode ser utilizada para qualquer outra carta do deck. Para isso, usei a mesma fórmula já demonstrada nas matérias passadas:

formula1prize

Onde “N” será 53 –afinal, já compramos 7 cartas e concluímos que o Shaymin EX não está entre elas – “n” será igual a 6 cartas, que são o número de Prêmios, “K” será o número de Shaymin EX no deck, e “A” será igual ao número de Shaymin EX nas Prêmios. Assim, temos a tabela:

Quant. Shaymin EX no Deck1 nos Prêmios2 nos Prêmios3 nos Prêmios4 nos Prêmios
111,32%xxx
221,55%5,05%xx
330,78%10,05%0,28%x
439,09%15,00%0,82%0,01%
*Lembrando que esses valores valem para qualquer carta do deck

Por fim, antes de me despedir definitivamente, encerrando todas essas matérias sobre probabilidade, vou deixar um pequeno comentário sobre o “Controle do Deck”:

O que é o controle? É útil?

Se você é um jogador iniciante e já viu algum jogador experiente separando o deck em alguns montinhos, já sabe o que é o Controle. Ele tem o objetivo de misturar o deck antes de embaralhá-lo. A dúvida é… Se você vai embaralhar o deck, por que você precisa fazer um controle?

Peguemos como exemplo um deck de Vileplume + Vespiquen ou até mesmo um deck Night March. Após uma partida, esses decks possuem uma tendência de acumular as cartas Treinadores umas sobre as outras na pilha de descarte, afinal em um turno, eles possuem mais cartas na própria pilha de descarte do que no deck. A maioria dos jogadores que usam esses decks também costumam colocar os Pokémon da pilha de descarte no topo para facilitar a contagem da quantidade de dano. Logo, esses decks praticamente se separam em montes de Pokémon e montes de Treinadores.

Embaralhar, no geral, acaba por manter essas cartas juntas. Claro que depende da forma como se embaralha e do tempo gasto nesse “embaralhamento”, mas nenhum jogador gosta de maltratar suas cartas, sem contar que, por vezes, a marca dos Sleeves/Protectors dificulta embaralhar as cartas, ainda mais se você for da categoria Júnior e/ou tiver mãos pequenas.

O controle tem sim um fundo de verdade e não é frescura/perda de tempo/mimimi. Afinal, se todas as cartas Treinadores e Pokémon ficam separadas, há boas probabilidades de você sofrer um “Mal de Mulligan”, isto é, conceder diversas cartas extras para o seu oponente, e, por vezes, começar com uma mão recheadas de Pokémon e não comprando cartas para manutenção.

Gostaria de agradecer a oportunidade deste espaço, bem como a toda a equipe Copag e Pokémon Blast News. Espero ter ajudado de uma forma apurada no que tange as construções de decks numa esfera mais competitiva.

Boa sorte a todos no competitivo e nessa temporada!

Referências e Links Úteis e complementares em todas as matérias:

Brent Halliburton – Stats on Starts Hypergeometric Distribution and the Pokémon TCG
Daniel Lee – Pokemetrics Introduction
Jason Klaczynski – Opening Basic Math
Mark Hanson – On the Probabilities of Pokemon
Patrick Roberts – TheMathTCG: The Probabilities Behind the Opening Hand
Portal Action – Distribuição Hipergeométrica
Wikipedia – Distribuição Hipergeométrica
Wikipedia – Probabilidade
Wikipedia – Valor Esperado

 

Tag: , , , , , , , , , ,